DEC.LEI Nº344/97

TODOS OS TEXTOS SÃO DA PROPRIEDADE DO AUTOR E ESTÃO REGISTADOS AO ABRIGO DA LEI DA PROTECÇÃO DOS DIREITOS AUTORAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL. INCORRE NO CRIME DE CONTRAFACÇÃO QUEM SE APROPRIAR, COPIAR, PLAGIAR E MENCIONAR NO TODO OU/E EM PARTE OS TRABALHOS AQUI PUBLICADOS, EM CONFORMIDADE COM O CÓDIGO DE DIREITOS DE AUTOR E DOS DIREITOS CONEXOS.
.
.
.
Escrever é poder amar-te



quinta-feira, 6 de março de 2008

AS MÃOS, OS OLHOS, A BOCA

Primeiro que tudo amor, as mãos. As mãos apertadas nas minhas, a polpa dos teus dedos a sentir as costas das minhas mãos que estas se aquecem no miolo das tuas. Depois o olhar, parado no teu até sentir arder por dentro e no sal que esta água de te querer pode parecer brilhar como uma lágrima mas não o é. É sentir-te anunciado. E na boca amor, na boca que quero que demores a chegar à minha para que quando a tingires de beijos nos toque a nós, por dentro, na garganta, que este nó que engulo é apenas amor, amor.

2 comentários:

GarçaReal disse...

Descrição maravilhodsa na atracção de dois seres que se amam.

Lindo

Bom Fim de Semana

bjgrande di Lago

Moonlight disse...

Senti o toque desses lábios que se devoram.

Beijo