DEC.LEI Nº344/97

TODOS OS TEXTOS SÃO DA PROPRIEDADE DO AUTOR E ESTÃO REGISTADOS AO ABRIGO DA LEI DA PROTECÇÃO DOS DIREITOS AUTORAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL. INCORRE NO CRIME DE CONTRAFACÇÃO QUEM SE APROPRIAR, COPIAR, PLAGIAR E MENCIONAR NO TODO OU/E EM PARTE OS TRABALHOS AQUI PUBLICADOS, EM CONFORMIDADE COM O CÓDIGO DE DIREITOS DE AUTOR E DOS DIREITOS CONEXOS.
.
.
.
Escrever é poder amar-te



domingo, 17 de fevereiro de 2008

DESSE LADO

Ouves tu o mesmo que eu? Vês daí a lua gorda e amarela lá no alto, uma dedada no azul escuro a guiar barcos e namorados? Se eu daqui soprar sentirás o meu hálito? Ou pensarás que é a brisa da noite quando no Estio abres portadas e deixas o fumo do teu cigarro subir a direito e depois embrulhar-se num rodopio porque te perdes nas asas das cigarras a esfregarem-se atraíndo outras no canto zumbideiro que nos deixa zonzos? E se eu gritar a plenos pulmões o teu nome chegarás mais perto para me ouvires sussurrar? Irá bater o teu coração ao mesmo compasso descompassado do meu? Mesmo estando tu do outro lado do mundo?

2 comentários:

Moonlight disse...

Num céu sem chão todas as palavras parecem vagas mas as tuas entram na pele.

O teu silêncio... esse som divino das palavras não ditas

Beijo

£oµ¢o Ðe £Î§ßoa disse...

Reinvento sons, tempestades, silêncios, instantes, luares...
Do outro lado do mundo e tão perto.