DEC.LEI Nº344/97

TODOS OS TEXTOS SÃO DA PROPRIEDADE DO AUTOR E ESTÃO REGISTADOS AO ABRIGO DA LEI DA PROTECÇÃO DOS DIREITOS AUTORAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL. INCORRE NO CRIME DE CONTRAFACÇÃO QUEM SE APROPRIAR, COPIAR, PLAGIAR E MENCIONAR NO TODO OU/E EM PARTE OS TRABALHOS AQUI PUBLICADOS, EM CONFORMIDADE COM O CÓDIGO DE DIREITOS DE AUTOR E DOS DIREITOS CONEXOS.
.
.
.
Escrever é poder amar-te



sábado, 22 de março de 2008

TANGO CARMIM

Já pus o meu vestido vermelho decotado e muito justo e nos pés os sapatos que sabem dançar, espero a tua rosa branca para enfeitar o meu ombro e o teu braço à minha roda para me cingir, nos lábios levo o brilho dos teus beijos e dos segredos que me hás-de sorrir noite fora encontro jóias que mais nenhuma tem. Ergui nos cabelos ao alto o pescoço que te ajeito no cheiro de te querer e quando o tango atacar seremos perfeitos como a rede das minhas meias que te enleiam nos dedos a vontade de me teres. Nego, nego só e apenas para que me peças e me puxes e até me arrastes na liga negra até ao escuro do salão onde brilham os teus olhos, rodopio, volteio, rondo-te em passo riscado o desafio e até a noite tombar o pano a rosa que era branca abrirá em carmim.

1 comentário:

Sandra F disse...

É apenas uma sensação...mas andamos as duas a sonhar pelos mesmos salões de dança, o ritmo é diferente, mas as emoções são semelhantes.