DEC.LEI Nº344/97

TODOS OS TEXTOS SÃO DA PROPRIEDADE DO AUTOR E ESTÃO REGISTADOS AO ABRIGO DA LEI DA PROTECÇÃO DOS DIREITOS AUTORAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL. INCORRE NO CRIME DE CONTRAFACÇÃO QUEM SE APROPRIAR, COPIAR, PLAGIAR E MENCIONAR NO TODO OU/E EM PARTE OS TRABALHOS AQUI PUBLICADOS, EM CONFORMIDADE COM O CÓDIGO DE DIREITOS DE AUTOR E DOS DIREITOS CONEXOS.
.
.
.
Escrever é poder amar-te



quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

À TUA ESPERA

Algumas vezes ali fora. Reparara nela logo na primeira vez, o ar retro dava-lhe charme, a boca vermelha a destacar-se no emoldurado do lenço de seda que lhe cobría o cabelo e se envolvía no pescoço alto. Acompanhava-se de um livro, talvez fosse sempre o mesmo, não tinha a certeza. Entre sopros na chávena do café ía deitando o canto do olho e fazía-se perguntas, muitas sem saber da sua razão ou apenas a curiosidade aguçada de ver uma mulher diferente das habituais. Numa dessas idas o empregado sorriu-lhe e baixo desvendou-lhe sobre a nossa diva, já faz parte da casa, é bonita não é, ele não sabía bem se era, era misteriosa, há quem diga que espera por um homem que nunca apareceu, se calhar é boato, são histórias do povo que eu nunca a vi com ninguém e a verdade é que uma mulher assim não deve ser sózinha, não acha? Ele não achava nada, continuava a perguntar-se se ela sería mesmo bonita pois não o sabía ao certo e no entanto aquela atracção de lhe saber mais, desvendar-lhe todo o cabelo sempre tapado, o pescoço esguio, comprido mas como ter a certeza se se escondía nas voltas apertadas do lenço de seda? Acercou-se dela, perguntou se lhe podía oferecer um café, ela fechou o livro e pousou-o de lado sem ruído, desapertou o lenço de seda e libertou as ondas do cabelo que tombaram sobre os ombros. Depois olhou-o, a boca vermelha arqueou-se num leve sorriso e respondeu-lhe claro, estava apenas à tua espera.

1 comentário:

Lu@r disse...

"...é bonita não é, ele não sabia bem se era, era misteriosa..."

Mais do que isso perfeita num longo olhar.

Beijo