DEC.LEI Nº344/97

TODOS OS TEXTOS SÃO DA PROPRIEDADE DO AUTOR E ESTÃO REGISTADOS AO ABRIGO DA LEI DA PROTECÇÃO DOS DIREITOS AUTORAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL. INCORRE NO CRIME DE CONTRAFACÇÃO QUEM SE APROPRIAR, COPIAR, PLAGIAR E MENCIONAR NO TODO OU/E EM PARTE OS TRABALHOS AQUI PUBLICADOS, EM CONFORMIDADE COM O CÓDIGO DE DIREITOS DE AUTOR E DOS DIREITOS CONEXOS.
.
.
.
Escrever é poder amar-te



quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

SONHAR

Sentou-se e adormeceu profundamente. Ao ritmo das paragens e dos solavancos deixou-se embalar num sonho em que vozes e risos parecíam vir de longe até sumirem e apenas ficar ela e os seus pensamentos. Talvez tenha aberto os olhos e os outros passageiros a tenham observado admirados por um clarão que não veem lhe ter dilatado as pupilas. Mas ela sentiu o azul a cortar-lhe a respiração, o peito acelerado de lhe ter caído em cima um céu sem nuvens. Não sabe onde está, está deitada num tapete verde e orvalhado que lhe pica levemente o corpo nu. Assusta-se pela falta de roupa, sente-se envergonhada pelos outros passageiros do autocarro, cobre os seios com os braços em cruz, falta mãos para tapar o resto. Liberta-se lenta da nudez e regressa ao campo onde o terreno é ela, rola sobre si, os cabelos a embrulharam o pescoço, a boca, sente o nariz na terra húmida, um cheiro bom que apetece comer. Crava as unhas, segura a monte bocados desse castanho virtuoso e enche o olfacto no sorriso de uma felicidade plena. Sem nada mais, sem falta de mais nada. As vozes voltam, um quase grito, sons que apertam o sonho até o estourar como uma bola de sabão. Abre os olhos, desconhece o sitio, as gentes que dormitam mas não estiveram no seu campo verde e de céu azul. Sai espavorida na aflição da paragem perdida, revê-se, vestida corre rua fora passando o sinal vermelho entre apitos de buzinas.

6 comentários:

Lu@r disse...

O tempo pára quando sonho acordado...
O tempo rasga a minha alma quando retorno à realidade.

Beijo

Bichinho disse...

Beijo fantasma.

Eärwen Tulcakelumë disse...

Pergunto o que seria da nossa vida sem os sonhos...

Pérolas incandescentes de belo sonhar.

Eärwen

impulsos disse...

E tudo não passou afinal, de um sonho...
Um sonho onde realidades se misturam com fantasias e quase nem se percebe onde se acaba o sonho e começa a realidade da vida.

Gostei imenso, como sempre!

Quero também agradecer todas as palavras de incentivo deixadas nos meus impulsos.
Obrigado!
Ainda não sei se o reabrirei, ou se me mantenho meio adormecida, depois da passagem do vulcão que me atirou contra a parede...

Beijo

Whispers in night disse...

Ola linda!
Sinal que ela se libertou, chegou a estar no tapete verde onde a liberdade misturada com a nudez da alma
nunca pares de escrever, tua maneira de escrever encanta
Que tenhas um bom fim de semana
mil beijinhos
Rachel

poetaeusou . . . disse...

*
desnudado, sonho,
,
conchinhas desnudas, deixo,
,
*