DEC.LEI Nº344/97

TODOS OS TEXTOS SÃO DA PROPRIEDADE DO AUTOR E ESTÃO REGISTADOS AO ABRIGO DA LEI DA PROTECÇÃO DOS DIREITOS AUTORAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL. INCORRE NO CRIME DE CONTRAFACÇÃO QUEM SE APROPRIAR, COPIAR, PLAGIAR E MENCIONAR NO TODO OU/E EM PARTE OS TRABALHOS AQUI PUBLICADOS, EM CONFORMIDADE COM O CÓDIGO DE DIREITOS DE AUTOR E DOS DIREITOS CONEXOS.
.
.
.
Escrever é poder amar-te



sexta-feira, 16 de novembro de 2007

OS NAUFRAGOS

Apertados nos membros, sufocavam-se nos beijos e nos cabelos longos dela, no embaraço dos lençóis a sobrar derramados pelo chão. Vestíam-se de pele, dedadas, manchas digitais como nódoas negras, um sinal de saliva no ombro, no pescoço uma mordedura rosácea como um escaldão. Olhos fechados, que o caminho fazía-se de cor e na cor do intenso o rumo certo para descobrir janelas de luz. Desliza-se nela a paixão, escorrega nele o passo certo.
Conta-me histórias, sussurrava ele e ela dava-lhe as mãos e fazía-lhe mares para navegar, alterava-lhe marés no ondular das costas, dava-lhe turbulência no apertar das coxas e subía vagas a pique para que ele alcançasse o horizonte.
E agora, gritava ele perto do naufrágio e ela arrastava-se nele salvando-os na praia.

3 comentários:

Chat Gris disse...

Obrigada por dizeres (tantas vezes) as palavras que também são minhas.

Whispers in night disse...

como e bom naufragar e juntos morrer na praia..
de olhos fechados ver o tempo a passar e novamente se lancar ao mar e encontrar nova aventura e novamente morrer.
bonito teu blog andando a voar na net aqui vim ter, gostei e de certeza que aqui voltarei a te ler
beijos mil assoprados na palma da minha mao
whispers

Papoila disse...

há amores assim...

Jinhos
BF