DEC.LEI Nº344/97

TODOS OS TEXTOS SÃO DA PROPRIEDADE DO AUTOR E ESTÃO REGISTADOS AO ABRIGO DA LEI DA PROTECÇÃO DOS DIREITOS AUTORAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL. INCORRE NO CRIME DE CONTRAFACÇÃO QUEM SE APROPRIAR, COPIAR, PLAGIAR E MENCIONAR NO TODO OU/E EM PARTE OS TRABALHOS AQUI PUBLICADOS, EM CONFORMIDADE COM O CÓDIGO DE DIREITOS DE AUTOR E DOS DIREITOS CONEXOS.
.
.
.
Escrever é poder amar-te



sexta-feira, 30 de novembro de 2007

NÃO VOU OLHAR PARA TRÁS

Depois de nos abraçarmos, beijarmos, voltarmos a abraçar, os teus dedos na minha cara a esmagar as lágrimas no borrão do eyeliner desmanchado, de dizermos o quanto nos queremos, as juras repetidas sempre no mesmo tom, as mãos apertadas nas mãos suadas do lenço branco pronto para a despedida, os encontros marcados que sabemos que nunca acontecerão, recomendações como última nota, um telefonema, um sinal, um pedido para todo o sempre recordar, vou andar e não vou virar-me para trás. Não te vou olhar pela derradeira vez, cada vez mais longe do apuro da minha vista, pequeno até ficares apenas um fio, uma linha ao alto que me lembre que do teu calor já me aqueci. Mas não vás. Fica e vê afastar-me, vê como sou tão corajosa...

3 comentários:

Eärwen Tulcakelumë disse...

Quisera não precisar olhar...

Pérolas incandescentes de força e carinho.

Eärwen

Lu@r disse...

Partes sem olhar mas dentro de ti levas algo e não é só o olhar é a presença na tua pele.

As memórias ficam guardadas no lado esquerdo.

Beijo

GarçaReal disse...

Seguir sem olhar para trás...Só fisicamente, pois a alma fica presa, não vira as costas e acrarreta as recordações.

Lindo e muito bem escrito

bjgrande