DEC.LEI Nº344/97

TODOS OS TEXTOS SÃO DA PROPRIEDADE DO AUTOR E ESTÃO REGISTADOS AO ABRIGO DA LEI DA PROTECÇÃO DOS DIREITOS AUTORAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL. INCORRE NO CRIME DE CONTRAFACÇÃO QUEM SE APROPRIAR, COPIAR, PLAGIAR E MENCIONAR NO TODO OU/E EM PARTE OS TRABALHOS AQUI PUBLICADOS, EM CONFORMIDADE COM O CÓDIGO DE DIREITOS DE AUTOR E DOS DIREITOS CONEXOS.
.
.
.
Escrever é poder amar-te



domingo, 20 de abril de 2008

DE LÁ

Que será que há do outro lado? Do da terra, do da água, do do céu? Do outro lado de mim? E do lado para onde voam os pássaros assustados pelo estalo da espingarda ou das árvores cambadas pelo assobio do vento? Do lado da areia da praia e até mesmo do castelo feito pelas mãos das crianças que brincam enquanto os pais fecham os olhos ao sol pleno e tentam ver o que há do outro lado? E da noite que vem devagar... terá medo de saír do outro lado, o do dia e deitar-se no dia enquanto do dia se ergue na noite e perder-se do lado das estrelas e dos marinheiros que buscam o outro lado do mundo e este numa linha, muito fina, muito esticada do horizonte? Eu vejo essa linha. Será o horizonte o outro lado de mim?

1 comentário:

Sandra F disse...

Do outro lado poderá estar aquilo que não queremos ver, por isso o outro lado parece sempre tão longe, é como se caminhassemos em sua busca e o caminho fosse infinito, mas porque descobrir o que está do outro lado? Enquanto olhamos para o outro lado, e nada encontramos, esquecemo-nos de viver o que está deste lado...talvez o outro lado nem exista...talvez o outro lado não seja assim tão importante...talvez o outro lado seja uma ilusão...talvez o outro lado seja o nosso vivido...talvez não gostemos do outro lado...e por isso nos interrogamos sobre o outro lado.